Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para rodapé 4 Acessibilidade 5 Alto contraste 6

---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?


INAUGURAÇÃO DE MONUMENTO MARCA OS 50 ANOS DO DISTRITO DE SÃO LEONARDO

Publicado em 13/02/2014 às 00:00 - Atualizado em 03/06/2015 às 15:52

A comunidade de São Leonardo comemora 50 anos do decreto que dá a ela o título de Distrito. Para festejar a data histórica, a Administração Municipal em conjunto com entidades sociais e a comunidade preparou uma série de eventos, realizados nos dias 08 e 09. Missa festiva, serviços de cozinha e uma tarde dançante fizeram parte da programação. Os recursos arrecadados foram destinados a Fundação Médico Assistencial do Trabalhador Rural de Alfredo Wagner, o Hospital.

            As comemorações tiveram o momento mais importante no último domingo (9), com a inauguração de um monumento que homenageia o professor Leonardo Ernesto Harger.  A cerimônia contou com a presença de autoridades: O prefeito Naudir Antonio Schmitz, o vice-prefeito, Luiz Carlos Martins (Luizinho) e a Secretária de Educação, Valneide T. da Cunha Campos. Familiares do homenageado e pessoas ligadas ao distrito também se fizeram presentes. O busto foi construído com recursos doados pela empresa de transportes coletivos TRANSTUSA, da família Harger.

            Filho de João Leonardo Harger e Erna Thomann Harger (naturais da Alemanha), Leonardo Ernesto Harger nasceu em Santa Izaber, município de Palhoça. Casou-se com Emilia Cristina Koerich e desta relação nasceram oito filhos. Viuvou em 20 de dezembro de 1924. Casou-se novamente um ano depois, em 1925, com Rosa Coelho Harger. Desta união foram gerados seis filhos.

            A primeira residência de Leonardo foi em Águas Mornas. Quando morou em Rancho Queimado trabalhou como marceneiro e delegado de polícia. Aos 33 anos, passou a viver em Quebra-Dentes (atual São Leonardo), onde exerceu a profissão de professor.

            Mesmo com a carência de matérias de uso escolar, Harger dedicou-se na tarefa de alfabetização e vinculação de informações. Fundou a Biblioteca Rui Barbosa dentro da escola onde lecionava. Nela havia um acervo com mais de dois mil exemplares de livros que ele trazia de outras regiões. Com seu incentivo e orientação, os alunos elaboravam mensalmente um jornal chamado O Colibri, que era escrito à mão e apresentava notícias da comunidade e da região. Harger foi ainda capelão católico na localidade. Com o passar do tempo passou também a ser capelão luterano.

            “O professor Harger teve uma vida exemplar, dedicada ao desenvolvimento educacional e religioso deste município, nada mais justo do que esta homenagem a ele” diz o prefeito Naudir Schmitz.

            Para a Secretária de Educação Valneide, Leonardo Ernesto Harger é um professor inesquecível e seu trabalho deve refletir sempre nos atuais lecionadores.

 

O DISTRITO DE SÃO LEONARDO

            São Leonardo tem uma história riquíssima e o povo é conhecido por conservar sua cultura e valorizar seu passado. Antigamente chamado pelo nome de “Quebra-Dentes”, a comunidade está localizada no fundo de um vale onde, no passado, havia a presença de índios. O registro da existência desses povos é evidenciado nas pontas de flechas, machadinhas de pedra e outros instrumentos encontrados no local.

            Na Vila Quebra-Dentes e região existia um hotel, armazéns, atafonas para fazer farinha de milho, engenho de farinha, galpão de pouso para tropeiros e pastagens para animais, como gado e mulas. Contava com um comércio completo e com a primeira rodoviária e o primeiro cartório do município. O aumento do transporte de madeira enriqueceu ainda mais o comércio da região e surgiram algumas fábricas como de montagens de rádios, pequenas fábricas de sandálias e chinelos e fábrica de móveis.

            As fontes de energia para as pequenas fábricas, residências, engenho, serrarias e atafonas eram as rodas d’água, o querosene, a gasolina ou o óleo. No entanto, a falta de energia elétrica tornava o processo de fabricação muito difícil e as impedia de concorrer com outras indústrias. Assim, aos poucos, os proprietários foram se desfazendo de sus empreendimentos ou transferindo-se para locais que já contavam com a energia elétrica. A tardia instalação da rede de energia elétrica provocou o primeiro declínio na dinâmica socioeconômica da Vila de São Leonardo. Posteriormente, o traçado da BR-282 distanciou-se do centro da comunidade, algo que novamente prejudicou a economia do lugal.

            O nome Quebra-Dentes se originou das dificuldades que as mulas dos tropeiros encontravam para subir os aclives do caminho. Escorregando e batendo com a queixada no solo “quebrando os dentes”. Já o nome São Leonardo surgiu em 1963, quando o filho do professor Leonardo Harger, Renato Antonio Harger, elegeu-se vereador na 1ª gestão. Renato criou um projeto criando o distrito com o nome de São Leonardo, aprovado pela Câmara de Vereadores em 7 de fevereiro daquele ano e posteriormente homologado pela Assembleia Legislativa.

 

 

Matéria: Mario Kalbuch (Assessor de Comunicação)

Referências: http://carolpereiraa.blogspot.com.br/2013/04/visita-ao-distrito-de-sao-leonardo.html. Acesso em 13 de fevereiro de 2014.

Fotos: Sara Lucia Harger

 

 


Galeria de Imagens

  • {{galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
  • {{galeriaMultimidia.length + galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
Fechar

Galeria de Arquivos