---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?


ESTIAGEM AFETA RIOS E AGRICULTURA EM ALFREDO WAGNER

Publicado em 30/04/2020 às 16:57 - Atualizado em 30/04/2020 às 16:57

Rio Caeté no centro de Alfredo Wagner
Créditos: Manuella Mariani Baixar Imagem

Os rios e as nascentes de Alfredo Wagner seguem em estado de alerta, assim como em diversos municípios da região e no dia 19 de março a cidade decretou emergência. A estiagem no estado teve início na metade de 2019 e não houve mudanças em 2020, segundo a Previsão Climática do Centro de Informações de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia (Epagri/Ciram). A esperança de um abril chuvoso se perdeu e agora está depositada no mês de maio. Segundo o boletim da Epagri Ciram, a tendência da previsão do tempo indica chuva mais intensa nos dias 5 e 6 de maio, mas o relatório diz que não haverá chuva significativa nos próximos 3 meses.

 

Os rios de Alfredo Wagner integram a Bacia Hidrográfica do rio Itajaí, através do afluente rio Itajaí do Sul, sendo que é em seu território, na microbacia hidrográfica do rio Caeté, que estão localizadas as nascentes do rio Itajaí. Outros rios também são importantes no nosso município, como Rio Águas Frias e Rio Adaga. Todos são alimentados por outros pequenos rios e arroios das comunidades. Além disso, 70% da população alfredense é rural e depende da água para a produção agrícola.

 

Segundo Graziela Tavares, Engenheira agrônoma e extensionista rural da Epagri, os acumulados de chuva dos últimos dois meses prejudicaram diversas lavouras do município, principalmente a cultura de milho e hortaliças de verão. “A precipitação foi insuficiente e a falta de água afetou o sistema de irrigação e reservatórios construídos pelos agricultores”, disse Graziela. A engenheira também explica que há políticas públicas que ajudarão durante essa estiagem, como a de nível federal que prorroga a dívida de municípios que decretaram estado de calamidade pública pela estiagem, a prorrogação do Pronaf em investimento e custeio. Em nível estadual, está para ser regrado o investimento em construção de postos cartesianos, juros baixos e subsídios para investimentos via Pronaf para irrigação e sistema de armazenamento de água. “Outros programas também estão sendo desenvolvimentos para ajudar os empreendimentos individuais nesse momento de estiagem e pandemia” completou.

 

A Casan está ajudando a manter o abastecimento da população catarinense e o Diretor de Operações e Expansão da Casan, engenheiro Fábio Krieger informou em coletiva de imprensa que “chegamos agora em um momento em que o pedido passou do uso consciente à redução máxima do consumo”. Em Nota técnica, a secretaria sugere às Prefeituras Municipais e outros órgãos responsáveis pelo saneamento a proibição, fiscalização e penalização de ações de desperdício, como lavação de fachadas, calçadas, pisos, muros e veículos com uso de mangueiras, assim como a irrigação de jardins.

 

A Defesa Civil também alerta e pede aos moradores que economizem água, evitem banhos demorados, não lavem carros e calçadas desnecessariamente, fechem a torneira ao escovar os dentes ou lavar a louça e lavem as roupas quando atingir o máximo da capacidade. Pedro Jayme dos Santos disse que “a situação do rio está no momento em código amarelo seguindo para o vermelho, se persistir a estiagem”.

 

Qualquer dúvida, o munícipe pode entrar em contato com a Epagri, através do telefone: (48) 3665-6092 ou pelo e-mail: emalfredowagner@epagri.sc.gov.br

 

Evite sair de casa, busque informações através de telefone e e-mails. Economize água.