---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?


Prefeito estuda maneira de administrar o município

Publicado em 01/02/2013 às 00:00 - Atualizado em 03/06/2015 às 15:52

RIC_RECORD_SC_entrevista_o_Gestor_Naudir_abordando_a_situacao_da_Prefeitura Baixar Imagem

Os problemas deixados pela antiga administração na Prefeitura de Alfredo Wagner vêm repercutindo pela imprensa catarinense. Rádios, jornais impressos e até uma reportagem no canal televisivo RIC-Record SC apontam o estado encontrado pelo novo prefeito, Naudir Antonio Schmitz, após a posse. Há quase um mês como Gestor da Prefeitura Municipal, Naudir Schmitz ainda estuda uma maneira de administrar o município neste início de mandato.

Desde setembro, o aluguel do edifício onde funciona a Prefeitura não é pago, somando uma dívida superior a R$ 19 mil reais. Com fornecedores a dívida ultrapassa R$ 500 mil. A luz também está atrasada. Telefone e internet foram encontrados cortados. A empresa contratada para fazer o recolhimento do lixo está há dez meses sem receber, contabilizando R$ 79.622,97 (setenta e nove mil seiscentos e vinte e dois reais com noventa e sete centavos).

A frota de maquinários está sucateada. De todas as máquinas - incluindo caçambas, retroescavadeiras, patrolas, entre outros - somente o caminhão que faz o recolhimento do lixo pode circular. Com a Secretaria de Saúde a preocupação é na ausência de medicamentos da farmácia básica. A antiga gestão deixou dívidas com todos os fornecedores, fazendo com que eles não queiram vender os remédios para a Prefeitura.

O Fundo de Participação dos Municípios (FPM), maior receita de Alfredo Wagner, também foi comprometido. A primeira parcela do FPM, repassada no dia 10, veio zerada porque a antiga administração não pagou o INSS das rescisões das empresas. A Segunda parcela, do dia 20, veio reduzida. O FPM seria utilizado para a reforma do maquinário municipal e compra de remédios.

A procuradoria jurídica do município está sendo acionada para fazer um levantamento da Prefeitura e dos objetos que estão faltando, como a telefonia móvel. Dos 34 aparelhos celulares, oito iPhones ainda não foram encontrados. Segundo o Secretário da Administração, Emerson Martins, será aberto um Processo Administrativo Disciplinar para tentar localizar os celulares.

Matéria/Foto: Mario Kalbuch


Galeria de Imagens

  • {{galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
  • {{galeriaMultimidia.length + galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
Fechar

Galeria de Arquivos